Chegou a hora do desmame. E agora?

Chegou a hora do desmame. E agora?

A introdução de alimentos sólidos na dieta é uma etapa significativa na vida do bebê e parte natural do desenvolvimento.  Lembre-se de que o princípio do desmame – processo de substituição total do leite materno por alimentos sólidos e semi-sólidos – é apresentar ao bebê, gradualmente,  a uma grande variedade de sabores e texturas, até que ele esteja apto a participar das mesmas refeições do restante da família. Esse processo é gradativo. Vá devagar e curta o momento, que é uma experiência muito rica!

Quando começar o desmame?

Esta é uma dúvida de muitos pais. Segundo recomendações da OMS – Organização Mundial de Saúde – o leite materno satisfaz todas as necessidades dietéticas de um bebê e é contraindicada a introdução de alimentos ou líquidos antes desta idade pois o aparelho digestivo e os rins são imaturos demais para ter que lidar com qualquer alimento ou líquido, além do leite. Alguns especialistas defendem ainda que o desmame precoce pode estar relacionado a obesidade e aumenta o aparecimento de alergias.

Após os 6 meses, o bebê vai precisar de fontes de nutrição não lácteas para lhe fornecer as calorias, vitaminas e minerais em quantidades suficientes para seu desenvolvimento. Após os 6 meses, o leite materno apenas não satisfaz as necessidades nutricionais do bebê, sobretudo de ferro e vitaminas do complexo B: como por exemplo, tiamina, niacina, B6 e B12.

Outro ponto a favor do desmame é que após os 6 meses mastigar e morder são funções igualmente importantes para o desenvolvimento da fala, linguagem e dentição de uma criança.

Introdução de alimentos sólido

O primeiro passo para introduzir alimentos na dieta do bebê é familiarizar a criança a comer com uma colher. A comida deve ser macia e leve, com consistência pastosa e sabor suave. Os primeiros alimentos que devem entrar na dieta do bebê devem ser encarados como um complemento ao leite e você perceberá que o apetite vai variar conforme cada refeição. A quantidade neste momento é inexpressiva.

Escolha uma hora do dia em que não esteja com pressa e que o bebê não esteja cansado. Normalmente o horário preferido é ao meio dia. Tenha paciência. Comer é uma nova habilidade que o bebê está desenvolvendo. Ele vai usar músculos que não usava antes, portanto não de incomode se a comida parecer estar sendo “cuspida”. Nas primeiras vezes, isso é perfeitamente normal. Os bebês possuem um mecanismo protetor que faz a língua empurrar tudo para forma. Isso muda conforme eles adquirem a habilidade de engolir e de levar a comida para o interior da boca.

A interação também é importante. Converse com o bebê, tente ser positiva e o encoraje a experimentar o novo alimento. Comece gradualmente, oferecendo frutas na ponta do dedo ou na ponta de uma colher de plástico. Não espere que ele coma mais do que uma ou duas colheres de chá nesta fase. Como já citado anteriormente, a quantidade não é o mais importante e sim a qualidade e variedade da dieta.

Alguns sinais de que o bebê está pronto para o desmame:

1 -Parece insatisfeito depois de mamar e mais faminto que o normal

2 -Mostra interesse pela sua comida

3 -Faz movimentos de mastigação

4 -Consegue fechar a boca em torno de uma colher

5 -Tem boa sustentação da cabeça

6 -Fica sentado, sem apoio

7 -Já possui bom movimento da língua e consegue coloca-la para fora e para dentro

8 -Os dentinhos começaram a aparecer

Esquema para introdução de alimentos por faixa etária:

Até o 6º mês – aleitamento materno exclusivo

6º mês – leite + papas de frutas

7º ao 8º mês – papinhas salgadas, ovo, suco de frutas s/ açúcar

9º ao 11º mês – oferecer a comida da família, gradativamente

12º mês – comida da família

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria