Diabetes melito na gravidez

Diabetes melito na gravidez

O diabetes melito é uma doença relacionada aos altos níveis de açúcar no sangue. Essa elevação ocorre por causa da falta ou insuficiência ou redução da ação do hormônio insulina, que é o hormônio responsável pela transferência da glicose para as células do organismo. O quadro da doença está intimamente ligado a herança familiar e obesidade e pode ser desencadeado por uma gestação.

Essa doença atinge de 5 a 10% das gestações, sendo que em alguns casos, esse tipo de diabetes pode ser encarado como do tipo gestacional, ou seja, aquele que aparece durante a gravidez e desaparece após o nascimento do bebê. A gravidez tende a gerar diabetes principalmente em mulheres predispostas ou com ganho excessivo de peso na gestação.

As principais consequências para a gestantes que possuem a doença são: abortamentos, nascimentos prematuros, infecção urinária, bebês muito grandes, complicações ao nascimento, entre outros. O tratamento do diabetes melito é baseado em dietas, exercícios físicos e em alguns casos no uso de insulina. O diagnóstico é feito através de um exame de sangue que aponta valores de glicemia no sangue, quando esses valores são considerados anormais (geralmente acima de 126 mg/dL), o diagnóstico da doença pode ser confirmado. No caso de gestantes, um exame mais detalhado, que consiste na dosagem de açúcar do sangue em jejum e pós 1 e 2 horas da ingestão de um líquido adocicado (mais conhecido como curva glicêmica após sobrecarga de glicose) deverá ser realizado no início do terceiro trimestre de gestação.

Se o diagnóstico for confirmado, é importante que a gestante siga uma dieta rigorosa para evitar maiores complicações. Essa dieta será adequada ao peso e altura da mãe e deverá ser proposta pelo médico. Recomenda-se que essas dietas sejam ricas em verduras, legumes, fibras e frutas. Alimentos que contém carboidratos simples como arroz, pão e macarrão devem ser substituídos pelos produtos integrais de mesma origem.

Em alguns casos da doença será necessário a internação da gestante para que exames de controle sejam feitos, além do uso da insulina subcutânea.

Referências Bibliográficas:
FARIA, R. B.; FARIA, R. M. B. S. Gravidez Saudável – Guia Prático da Gestação ao Bebê. 1. ed. São Paulo: Lemos Editorial, 2004.
ZUGAIB, M. Obstetrícia. Capítulo 50: Diabetes Mellitus, páginas 837 a 850. 1. ed. São Paulo: Editora Manole, 2008.