Hipertensão Arterial

Hipertensão Arterial

A hipertensão é um dos problemas clínicos que mais atinge as mulheres durante a gravidez. Isso ocorre devido ao aumento do volume de sangue e da circulação sanguínea do feto, uma vez que o sistema cardiovascular da gestante passa a trabalhar de forma mais acelerada.

O aumento da pressão arterial em valores igual ou maior a 140/90 mmHg, no período de gestação, é diagnosticado como hipertensão. Assim, faz-se necessário aferir a pressão arterial frequentemente, para checar se de fato a hipertensão não está sendo induzida pela gestação, visto que a mulher pode apresentar tal descontrole após a 20ª semana de gravidez.

A doença hipertensiva específica da gestação (DHEG), também chamada de “pré-eclâmpsia”, apresenta os sintomas como inchaço e aumento de proteína na urina, e afeta mais comumente mulheres abaixo dos 20 anos e acima dos 35 anos, bem como gestantes com excesso de peso, em gestações múltiplas ou com histórico da doença na família.

As causas da DHEG ainda são desconhecidas, entretanto, é importante que grávida faça um acompanhamento médico constante, assim como o controle assíduo da pressão arterial, pois desta forma estará evitando maiores complicações gestacionais tanto para ela quanto para o bebê.

Durante o tratamento, recomenda-se o repouso físico, além de uma dieta balanceada, evitando a ingestão de sal e o ganho exagerado de peso.

Referências Bibliográficas:
BENTO, J. Parabéns! Você está grávida – Orientações para uma gravidez perfeita. São Paulo: Alaúde, 2009.
FARIA, R. B.; FARIA, R. M. B. S. Gravidez Saudável – Guia Prático da Gestação ao Bebê. 1. ed. São Paulo: Lemos Editorial, 2004.