Infecção do trato urinário na gravidez

Infecção do trato urinário na gravidez

Durante a gravidez, a incidência de infecção urinária nas mulheres é bastante elevada. Isso se deve ao fato de que, durante a gravidez, certas modificações ocorrem no corpo feminino, tornando a gestante mais predisposta ao desenvolvimento da doença. Entretanto, outros fatores estão associados ao desenvolvimento da infecção do trado urinário, dentre eles podemos citar: anemia, cálculo renal, infecções urinárias prévias, diabetes, corrimentos, infecções genitais e até mesmo a falta de higiene1.

A infecção urinária pode trazer complicações para o bebê e para a gestante, sendo causa de abortos e partos prematuros1. As infecções urinárias são causadas por bactérias presentes na flora intestinal que podem contaminar o trato urinário, sendo que durante a gravidez, as modificações que ocorrem no corpo feminino como: dilatação do útero ou urina mais rica em nutrientes, facilitam a proliferação dessas bactérias2.

Alguns sintomas são comuns e sugerem o quadro de infecção urinária, como1:
– Vontade constante de urinar;
– Urina em menor quantidade, mais escura e às vezes com presença de sangue;
– Dores ao urinar;
– Incômodos na região pélvica;
– Febre.

A infecção urinária pode atingir a mulher através da forma menos agressiva, conhecida como cistite ou através da forma mais severa, conhecida como pielonefrite2. Apenas um exame clínico é capaz de diagnosticar o tipo de infecção presente no corpo da gestante. Os exames solicitados na consulta pré-natal e no terceiro trimestre da gestação são capazes de diagnosticar o quadro de infecção urinária1.

O tratamento da infecção urinaria é feito através de antibióticos específicos que serão prescritos pelo médico e que não deverão prejudicar o bebê1.

Algumas medidas podem ser tomadas pelas mamães para evitar o desenvolvimento da infecção urinária, como: ingerir grande quantidade de líquidos (em torno de 2 litros diários), esvaziar completamente a bexiga ao urinar, tratar de forma adequada infecções e corrimentos genitais, além de manter e cuidar da higiene pessoal diariamente1, 2.

Referências Bibliográficas:

1 FARIA, R. B.; FARIA, R. M. B. S. Gravidez Saudável – Guia Prático da Gestação ao Bebê. 1. ed. São Paulo: Lemos Editorial, 2004.
2 GUIA DO BEBÊ. Gestantes. Guia do Bebê. Disponivel em: <www.guiadobebe.uol.com.br/gestantes>. Acesso em: 14 out. 2010.