O pai na hora do parto

A união e a ação conjunta do pai e da mãe devem começar desde a notícia sobre a gravidez. É necessário que os pais participem e acompanhem todo o crescimento da criança, contribuindo para a sua educação e desenvolvimento. Em hipótese alguma o papel da mãe deve se sobressair ao do pai.

É fácil notar que na atualidade, a função do pai tem sofrido grandes mudanças. Antigamente, era comum que a maioria das tarefas direcionadas a criação dos filhos estivesse encarregada pela mãe. O papel do pai era quase que secundário. O papai de hoje é muito mais participativo; e entende que a sua função de pai deve ser exercida constantemente. A conclusão é que todas as mudanças ocorridas ao longo do tempo com relação a postura do pai, fizeram com que ele tivesse acesso a sala do parto.

Quando o assunto é a hora do parto, a presença do pai torna-se ainda mais importante, já que é capaz de transmitir segurança, proteção e tranqüilidade a mulher. Além disso, a presença do papai garante a si próprio um sentimento de satisfação e integração na hora do nascimento da criança.

O papai que decide estar presente na hora do parto acredita e compreende que a sua participação é fundamental e que assim como a mãe, ele também tem suas obrigações. A presença do pai na hora do parto conclui um período de ajuda mútua – que fora a gravidez e inicia uma nova fase, a do crescimento e desenvolvimento do bebê.

Na hora do parto, o papai deve estar ao lado da mãe, mantendo um contato visual constante, auxiliando-a a respirar e a fazer força quando necessário. Palavras de apoio e encorajamento também serão bem vindas neste momento.

Mas vale lembrar que a presença do pai na hora do parto só deve ocorrer após uma decisão refletida e discutida pelo casal, para que a presença do pai não se torne uma ação forçada, confusa ou mesmo desconfortável.