O sono da criança

O sono da criança

O sono dos recém-nascidos é bastante diferente dos adultos e costuma ser bem compreendido e aceito pelos pais, apesar de cansativo. No entanto, algumas preocupações dos pais em relação ao sono dos filhos podem ser resultantes do desconhecimento sobre o que é considerado normal em cada faixa etária.

O recém-nascido dorme mais tempo que as crianças maiores, com períodos fragmentados de sono distribuídos ao longo do dia, que vão gradualmente se consolidando num período único, à noite. Recém-nascidos dormem 16 a 18 horas por dia, alternando sono e vigília a cada três a quatro horas, uniformemente distribuídas entre o dia e a noite. Considerando um sono contínuo de meia-noite às cinco horas, apenas 44% dos bebês com 2 meses dormem toda a noite, enquanto esta proporção passa para 78% entre bebês de 9 meses de idade.

Ao final do primeiro ano, o bebê dorme ao redor de 12 horas, mas o sono já se restringe a dois momentos: uma sesta à tarde e um longo período de sono à noite.

Ao longo dos anos do período pré-escolar, ocorre uma diminuição progressiva das horas de sono de 15 para 12 horas e a sesta é abolida até os cinco anos. No escolar, o período de sono dura em torno de 8 a 10 horas.

A arquitetura do sono vai se estruturando e amadurecendo com o passar dos meses e anos. A boa qualidade do sono depende da integridade estrutural e funcional das estruturas nervosas, do estado global de saúde da criança e da capacidade desta e dos pais em disciplinar satisfatoriamente o processo de adormecer.