Aleitamento materno é garantia de proteção dos bebês

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a amamentação exclusiva até no mínimo os seis meses de idade do bebê. Aqui no Brasil, isso é um desafio a ser superado. Segundo o Ministério da Saúde, apenas 41% das crianças mamam da mãe até o tempo indicado pela OMS.

Os benefícios de amamentar são inúmeros, tanto para as mães quanto para os bebês, como já existem estudos que indicam que esse ato entre mãe e filho previnem o aparecimento de câncer de mama ou ovário, anemia e osteoporose.

Há quem diga que a lactação prolongada prejudique o corpo da mulher, porém esse fato não é verdadeiro.

Um fator que muitas mães passam na hora de amamentar é o surgimento de fissuras mamárias, uma das principais causas do desmame precoce. Porém, com alguns cuidados, pode-se evitar esse desconforto e até futuros problemas, como a inflamação das glândulas mamárias.

A gerente médica de saúde feminina do Aché, Julied Jaruzo, orienta que a primeira atitude para evitar o surgimento de fissuras é corrigir a pega do bebê, além de destacar que na gestação, preparar a pele para o período de amamentação é importante também. “Produtos à base de lanolina anidra pura protegem os mamilos e garantem hidratação da região, evitando a ocorrência”, completa.

Confira a matéria completa.

Aleitamento materno é garantia de proteção dos bebês