Bancos de leite brasileiros servem de exemplo para outros países

A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (Rede BLH) tornou-se um modelo estudado e tomado como base por outros países. Uma equipe da Universidade de Michigan visitou a sede da rede, no Rio de Janeiro, para buscar sugestões de como desenvolver um banco de leite no hospital da universidade, em Ann Harbor, EUA.

A doação de leite materno, relativamente incomum na maior parte do mundo, é muito frequente no Brasil, onde a Rede BLH funciona como uma rede de bancos de sangue, promovendo testes, triagem e armazenamento de leite, que é usado principalmente na alimentação de crianças prematuras em unidades neonatais.

Quando uma mãe não pode amamentar seu bebê devido a doenças, dependência de droga ou outros problemas, a rede entra em ação para fornecer leite gratuito. Em 2013, a rede coletou leite de 150 mil mulheres para nutrir cerca de 155 mil bebês.

A rede é composta por 214 bancos e ajudou a implementar sistemas similares em 15 países latino-americanos e africanos, assim como na Espanha e em Portugal.

Saiba mais.
Bancos de leite brasileiros servem de exemplo para outros países