Teste do pezinho: por que o exame é fundamental

O exame de triagem neonatal, conhecido como teste do pezinho, detecta até 48 doenças que podem comprometer o desenvolvimento físico e mental do recém-nascido. E requer apenas algumas gotinhas de sangue colhidas do calcanhar do bebê.

A versão básica do exame, que contempla seis tipos de patologias, é obrigatória e gratuita em todo o país desde 1992. Fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, fibrose cística, doença incurável que agride pulmão e pâncreas, anemia falciforme e outras relacionadas ao sangue, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase são as doenças detectadas pelo teste obrigatório. É possível optar por realizar versões ampliadas do exame, que detectam mais patologias.

O teste costuma ser feito na maternidade, preferencialmente entre 48 horas e sete dias após o nascimento. O resultado sai em cerca de uma semana e, caso haja suspeita de alguma doença, o exame deve ser refeito.

Saiba mais.

Teste do pezinho: por que o exame é fundamental